Posted in Artigos Gospel

Teólogo é uma atração a mais no BBB, para crentes e não crentes

Quinze anos do maior reality show do Brasil. O Big Brother, um dos formatos mais populares do estilo de programa, onde a curiosidade é o mote escondido por trás da porta, espantosamente ainda é atraente para seu público, embora em outros países já tenha sido descontinuado ou perdido o glamour das primeiras edições.

Ainda apresentado pelo jornalista (hã?) Pedro Bial, cujo o salário divulgado no site msn.com é de 3 milhões de reais (por temporada), a atração televisiva ‘invade’a casa dos brasileiros durante o verão e depois revela os ‘heróis da casa’. Depois do fim, vencedores e derrotados assumem durante suas vidas, o sobrenome de ex-bbbs, um orgulho para os que foram capazes de ficar algum tempo em uma belíssima moradia com comida, homens e mulheres atraentes, piscina, uma mini-academia, bons quartos, festas. Muitas festas. Fora as muitas surpresas.

Se você é um preconceituoso, o BBB já até fez com que um ex-vencedor virasse deputado federal. O professor de Lingua Portuguesa, Jean Wyllis, é parlamentar dos mais aguerridos e está em seu segundo mandato. Foi o sobrevivente da edição de 2005. Nos últimos anos tem travado uma batalha defendendo causas que envolvem a sociedade GLBT, sendo ele um dos alvos do pr. Silas Malafaia, seja por discurso, atitude ou mesmo uma birra de proporção continental.

Como Acompanhar o BBB

Bom para ter uma opinião sobre o programa da rede globo precisa assistir não é?

Mais não gosto da globo com vou ter esses canais sem assinar com eles,
Bom te o sistema alternativo que em alguns fóruns falam sobre eles o primeiro é a lista iptv, nesse sistema é pago um valor mensal e tem acesso a todos canais inclusive o BBB, ele funciona até pelo celular fácil não é?

Pois na edição 2019 que estreou ontem (20.01) na Rede Globo teremos a oportunidade de vermos um teólogo entre os participantes. Sim, o ex-jogador (e campeão) de pôquer, Marco, um curitibano de 35 anos, estará entre os que lutarão pelo prêmio de R$ 1,5 milhão de reais. Casado, foi na fé que Marco encontrou refúgio para o ‘vazio existencial’ que dominou sua vida enquanto estava pelas mesas do mundo, ganhando grana e se divertindo.

Agora precisa de um sistema mais em conta tem o sistema cs que funciona de forma complicada só que é melhor. precisa de uma antena apontada e um internet estavel assim pode pedir um teste cs gratis do sistema e testar por 24 horas antes de pagar qualquer coisa.

Não sei se o vil metal falou mais alto ou a oportunidade de conferir alguma peculiaridade ao programa fez com que o ‘homem que estuda Deus’ acesse uma das mais atraentes aberrações da televisão brasileira, mas em um momento em que o papel da religião é discutido por conta do grau de ofensividade milenar que continua ceifando vidas através do ódio e da intolerância, é curioso que (mais um) produto do entretenimento continue sendo tentador  para aquele que estabeleceu – segundo suas próprias palavras – uma ligação com o divino pois o “foco no dinheiro estava ocupando espaço”. Quase dois milhões e meio ocupa muito mais, não?

O cristianismo brasileiro flerta faz algum tempo com uma espécie de sincretismo comportamental onde a atuação de quem deflagra a fé ou alguma confissão religiosa não tem relação alguma com sua proposta de vida, ou melhor, com a vida que ele supõe levar. Em outras maldosas palavras, é como se um apóstolo de Jesus aceitasse o convite para conhecer uma nova boate cujo o nome é Sodoma e Gomorra e não apenas confirmasse a presença mas se tornasse um dos mais assíduos. Por isso, temos atrizes pornôs, miss bumbum, destaques carnavalescos, capas de revistas masculinas, todas com seus discursos de “agradecimento a Deus” e retórica irrestrita de quem se diz evangélico(a). Uma torre de Babel onde as línguas não confundem, mas o modelo de testemunho, sim.