Posted in My Blog

Oferecer experiência ao fiel, ajuda na aquisição do produto

O conceito “tryvertising” foi  divulgado em uma matéria do jornal e revista Meio e Mensagem onde aponta o Clube Amostra Grátis que tem lançamento marcado para 11 de maio (em um espaço de 400 metros quadrados na Vila Madalena), a Sample Central deve abrir suas portas no fim de junho, na Rua Augusta, em um salão de 250 metros quadrados.

Possibilitar que a pessoa experimente o produto (daí o “try”) e depois dê a sua opinião sobre ele é a engrenagem que move esse modelo. Como quem paga a conta são as empresas que expõem os artigos, o custo para o consumidor é quase nenhum. E não são só artigos simples que podem ser levados para casa, não. Em ambas as lojas há produtos de até R$ 100.
Franquia da Sample Lab, criada no Japão em 2007, a Sample Central tem investimentos de R$ 4 milhões e abrirá espaço para que qualquer pessoa acima de 16 anos torne-se sócia. Esse processo poderá ser feito através do site samplecentral.com.br – que a partir do fim do mês de abril aceitará os cadastros. O interessado paga R$ 15 por uma carteirinha, pode ir à loja uma vez por dia e escolher para chamar de seu até cinco produtos diferentes a cada visita. Artigos acima de R$ 100 só serão testados no próprio local, e os estoques, renovados de 15 em 15 dias.

As visitas à loja, porém, precisam ser agendadas. “Queremos garantir que a experiência de consumo seja o mais bacana possível. Por isso, vamos limitar o atendimento para até 70 pessoas por hora”, diz João Pedro Borges Badue, sócio da Sample Central ao lado do publicitário Celso Loducca, da agência Bullet, do Ibope, e dos fundos Calés Investimentos e DGF Investimentos.

Depois da visita, a expectativa é de que o consumidor responda a um questionário sobre os produtos que levou – o que garante o feedback das marcas participantes. Em troca, os clientes ganham pontos em um programa de fidelidade que lhes garante participar de promoções ou levar para casa mais produtos.

“Os resultados da loja de Tóquio mostram que 94% das pessoas preenchem o questionário e 76% compram o produto após ter tido a experiência”, revela Badue. Como no Japão L’Oréal, Nestlé, Nintendo, Panasonic, P&G, Sony e Unilever participam da Sample Lab, a expectativa é de que a loja do Brasil também conte com essas e outras marcas como parceiras.

Mesmo modelo
Já o Clube Amostra Grátis é pilotado pelos empresários paulistanos Luiz Kajibata Gaeta e Denis Shimada. Embora não seja uma franquia, também se inspira em modelos internacionais, como a própria Sample Lab de Tóquio, Esloúltimo (da Espanha), SamplePlazza (da China) e o SampleU (dos Estados Unidos).

A lógica é a mesma: o consumidor visita a loja e leva para casa cinco produtos (desde que nenhum seja repetido). Depois preenche um formulário dando o seu parecer sobre os artigos. No Clube Amostra Grátis, porém, os clientes só poderão fazer uma visita por mês. E quando voltarem à loja para levar novos itens, caso ainda não tenham preenchido as pesquisas de opinião, deverão fazê-lo para poder ficar com novos produtos. A taxa de adesão será de R$ 15, e a de anuidade, de R$ 35.

Bebidas, energéticos, laticínios, sorvetes, vestuário e tecnologia – a loja contará com tudo isso. “Já estamos no projeto há nove meses e a maior dificuldade foi achar um local favorável para esse tipo de negócio. Escolhemos a Vila Madalena por ser um lugar onde tem muita gente antenada e ligada nas novidades”, conta Gaeta.

O Clube Amostra Grátis trabalhará com lançamentos e também com artigos já no mercado. “O projeto diminui a possibilidade de erro no lançamento de produtos e permite até corrigir algum posicionamento de produtos que já estão no mercado”, complementa Gaeta. Como de graça quase tudo é bom, quem deve gostar da ideia é mesmo o consumidor.