Posted in My Blog

Téo Dornellas – PG -Entrevista

Gabriel – Graça e paz! Que as bênçãos de Deus se multipliquem na sua vida a cada dia.
Téo – Amém, Deus abençoe muito todos vocês da equipe do Guitar Gospel, pelo incentivo a música, a guitarra e também por valorizar esse mercado que a cada dia tem crescido que é o da musica gospel.

Téo Dornellas

Gabriel – Quando surgiu o seu interesse por música e pela guitarra? E como foi a trajetória desde os primeiros estudos, as primeiras bandas até a sua condição atual de guitarrista de um dos maiores nomes do rock gospel nacional?
Téo – Minha família é toda de músicos, cresci vendo meu avô tocando bandolim, meus tios e primos violão e assim foi despertando em mim uma vontade de tocar um instrumento, mais que até então não sabia o que era.

Meu Pai tinha um violão em casa velhinho e com a caixa acústica toda quebrada, ele percebendo essa minha vontade, consertou o violão, detalhe… Ele mesmo concertou ”Seu Augusto” conhecido como Magaiver… rsrsrs.

Bom! Ai comecei a tocar esse violão e fui desenvolvendo sozinho, passando um tempo ganhei uma guitarra do meu Pai, daí morando em uma cidade do interior de São Paulo chamada Araçatuba comecei montar minhas primeiras bandas de Rock, Soul e etc…

Em 96 logo quando o guitarrista Cebolinha saiu da Banda Kadoshi antigo Actos 2, fui chamado para integrar a banda e permaneci nela até 97, voltei para Araçatuba e continuei dando aulas, tocando na igreja com minhas bandas e etc…

No Começo de 2003 fui chamado pelo Silas Furtado a voltar para a Banda Kadoshi, mudei para São Paulo novamente e fiquei na banda até o final de 2003, gravando com eles um CD chamado NOVO TEMPO.

E no Começo de 2004, O Silas do Kadoshi me telefonou dizendo que havia me indicado para o trabalho com o PG, logo em seguida conheci o PG pessoalmente fizemos um som junto e estamos ai até hoje, já com dois CDs gravados, primeiro chamado ADORAÇÃO e o segundo chamado DE UM LADO A OUTRO. É isso ai.

Gabriel – Quais foram as maiores influências musicais cristãs e seculares que você teve e tem até hoje?
Téo
– No segmento cristão – White Cross, Stryper, Bride, Tree Day, United, Rex Caron e etc…
No segmento secular: Mr. Big, Dream Theater, White Snake, Toto, Tribal Tech, Vital Tech Tones, Paul Gilbert, Malmsteen, John Petrucci, Ritchie kotzen, Greg Howe, Frank Gambale, Scott Henderson, Pat Metheny, Allan Holdsworth, Shawn Lane, Guthrie Govan e ai vai, são vários. Sou bem eclético pra ouvir música, e estou sempre buscando novidades.

Gabriel – Fale um pouco do processo de criação e gravação dos arranjos e solos de guitarra nos cds Adoração e De um Lado a outro.
Téo
– Para cada um dos Cds foi um processo diferente, no Adoração o PG já tinha as músicas com melodia, harmonia e letra, então entramos com os riffs e arranjos em geral, inclusive os solos de guitarra, sendo alguns compostos em casa, e os outros improvisados devido a uma pressão em relação a tempo de estúdio.

A Guitarra do Téo Dornellas

Agora já no De um lado a outro, foi totalmente diferente, pois não tínhamos nada, entramos no estúdio pra fazer a pré produção e invertemos o processo, primeiro fizemos toda a parte musical como arranjos, Riffs, solos de guitarra e todos os detalhes geral, os solos de guitarra neste CD foram todos compostos em casa, com exceção do solo de “Minha Terra” e o de “Aclame” que foram improvisados.

Depois de toda parte musical pronta o PG veio com as letras para serem encaixadas nas músicas, e nesse Cd tivemos um tempo bacana para todo o processo.

Gabriel – Quais as guitarras e equipamentos que você utiliza com mais freqüência em gravações de estúdio e quais equipamentos utiliza com mais freqüência em shows ao vivo?
Téo – Em estúdio, para bases pesadas só uso drive de amplificador e meus preferidos são: Marshall JCM 900, Mesa Boogie Maveric, e Laney qualquer um valvulado, para solos de guitarras com drive, acrescento um Sans Amp GT2 ao drive do amplificador para dar mais sustentação ao som, agora pra som limpos, guitarra direta em um desses amplificadores citados e de efeitos uso meus pedais analógicos Chorus  delay e etc.

Neste 2 últimos CDS gravei com guitarras Fender Stratocaster, Gibson Lespaul, Gibson SG, Ibanez JS e Walker. Ao vivo uso os Amplificadores que as empresas de locação de som levam, e no rider de som especificamos as marcas que usamos no caso, Marshall, Mesa Boogie, Laney, mais de vês em quando pegamos uns Jazz Chorus da vida… rsrsrs. De Guitarras uso Walker, duas Teles e uma Strato.

Gabriel – Dos teus solos gravados nos cds do PG qual você considera o mais técnico? E qual deles você considera o mais bonito, do ponto de vista melódico?
Téo – Do Adoração acho o mais melódico o de Posso Ouvir, pois tem uma melodia bem simples e fácil de gravar na cabeça isso é bacana e o mais técnico o de Santo, devido aos sweeps e uma pitada de out side.

Já no De um lado a outro, em minha opinião o Mais melódico é o segundo solo de “Meu Senhor” e o de “Aclame” também devido a composição com melodias simples, que completam a musica, e mais técnico o de Promessas, lá explorei um pouco mais a questão rítmica da composição e com alguns arpeggios bem interessantes, por isso achei mais técnico.

Gabriel – E um riff que você gosta?
Téo – Um dos que eu mais gosto é o da musica Vou Te Escutar, do Novo CD.

Gabriel – As suas composições no último disco do PG foram feitas especialmente para ele ou já estavam prontas?
Téo – Sim, foram feitas especialmente para o CD.

Gabriel – O que você busca em suas composições?
Téo – Busco sempre o melhor para o trabalho que estou fazendo.
Ex: Nos CDS do PG, procurei compor e gravar, pra banda, de uma forma que minha parte entrasse nas músicas como um complemento, uma parte do quebra cabeça, pois somos uma banda, não estou gravando um CD instrumental meu e nem dando um workshop no estúdio, pois na maioria das vezes nós guitarristas temos a tendência de querer encher de mais, fritar e etc…, sendo que às vezes uma pausa ou uma notinha só, da o tempero que faltava.

Mais graças a Deus consegui fugir desse vício… rsrsrs
Mais é isso ai, resumindo procuro fazer das minhas composições um complemento ao trabalho que estou executando, a não ser que seja no meu CD instrumental que logo quero gravar ai lá da pra extravagar. rsrsrs

Gabriel – Em sua opinião, como um músico deve encarar uma gravação, em relação à complexidade das composições em termos de harmonias, velocidade e outros elementos?
Téo – Bom é como falei na pergunta anterior, acho que o musico tem que encarar uma gravação primeiramente sem individualismo, tem que tirar o “EU” de cena, para assim enxergar o que a música realmente precisa, não somente o que você gosta.

É óbvio que o musico vai acrescentar a música o que ela precisa com a sua pegada e seu gosto, pois tem que conciliar o que você gosta com o que a musica esta pedindo. Velocidade é um recurso que tem que ser usado somente se encaixar na história que esta sendo contada pelo musico, não somente para satisfazê-lo, tipo… ”Nossa mandei muito nesse solo” rsrsrs. E é dessa forma que venho desenvolvendo meu trabalho.

Gabriel – Qual a sua opinião acerca da música secular entre os músicos cristãos?
Téo – Minha opinião é que temos que ter referencias musicais não influencias, pois somos somente influenciados por Deus e pelo seu Amor que nos constrange. Acho que é bacana buscar informações tanto no gospel como no secular, mais dessa forma que falei só referencias em relação às musicas, não influencia do musico ou da banda.

Não a nada melhor que buscar o conhecimento da musica com criador dela, Deus inventou isso tudo que os melhores músicos do mundo fazem.
SL. 144 diz: “Bendito é o Senhor minha rocha que adestra minhas mãos pra peleja e meus dedos pra guerra” Adestrar é ensinar, ELE nos ensina.

Téo Dornellas

Gabriel – Como tem sido a experiência de viajar pelo Brasil tocando guitarra e levando a palavra de Deus através da guitarra?
Téo – Tem sido maravilhoso, pois além de estar fazendo o que amo que é tocar guitarra, estou desenvolvendo o meu ministério que é o de louvor. A cada viajem uma história nova, vidas sendo salvas, restauradas, preconceitos caindo e fora o crescimento de estar na estrada com situações inusitadas de som e etc…, que temos sempre que ter soluções pra todas. E também pessoas que conhecemos amigos que fazemos e etc…

Gabriel – Você passa muitos dias na estrada, como é o convívio com os outros integrantes da banda?
Téo – É excelente, realmente nos tornamos uma família por passarmos grande parte do nosso tempo juntos. Amo essa galera!!!

Gabriel – Em qual igreja você congrega? Você tem tempo para participar também da equipe de louvor?
Téo – Congrego na Igreja Batista Nacional do Bom Clima, e como viajamos muito, não tenho participado tocando no grupo de louvor da igreja, mesmo por que tem um brother tocando guitarra lá e prefiro que ele continue, então fico mais no auxilio dos ensaios e etc…

Gabriel – Você pretende gravar um projeto paralelo, com musicas instrumentais?
Téo – Sim, Tenho meu trio, “Téo Dornellas trio”, Mais voltado ao Rock/Fuzion que ta na fila pra gravar e meu trabalho solo. Mais são projetos futuros ainda.

Gabriel – Você é apoiado por alguma marca?
Téo – Sim, guitarras Walker, Lojas Ponto Musical e Luthier Edmar Luighi.

Gabriel – O que você considera que foi imprescindível da tua parte da parte de outros (família, pastores, amigos, etc…) para o teu desenvolvimento musical e ministerial?
Téo – De minha parte a perseverança, fé, dedicação e buscar a perfeita e agradável vontade de Deus, e sou muito grato ao PG e Rosana, pela confiança, interseção e pela amizade, também a banda pela convivência em amor, em especial o Ney Lima que estamos desde o começo desse trabalho e ele tem sido um verdadeiro companheiro pra todas as horas, também aos meus pais pelo incentivo e por acreditarem no meu sonho, e com certeza a minha esposa Camila, que também sempre me apoiou, acreditou no meu trabalho, por interceder por mim sempre e agüentar a barulheira que eu faço em casa todo dia estudando. rsrsrs, E agora a minha maior motivação, minha filha “MANUELA”, que nasceu há oito meses e todo dia com seu sorriso me faz ter força pra prosseguir. Amo d+ todas estas pessoas!!!

Gabriel – Quais os seus conselhos para os guitarristas e músicos em geral que almejam terem seus ministérios crescendo tanto em técnica quanto na graça de Deus?
Téo – Meu conselho é que sonhem e busquem esse sonho, mais estejam preparados pra quando Deus colocar em suas mãos seus sonhos você não deixe ele escapar pelos dedos, estudem muito, busquem aprimorar, façam aulas, busquem novas informações, se mantenham atualizados e o mais importante procure saber a vontade perfeita de Deus para você.

Pv 16.1 diz: Cabe ao homem projetar mais a resposta certeira vem da boca de Deus.

Gabriel – Diga-nos o que acha desse trabalho que o GUITAR GOSPEL está desempenhando ao levar instrução aos músicos cristãos.
Téo – Acho muito bom, pois vocês cobriram uma lacuna que tinha nesse mundo virtual, estava faltando isso mesmo um site especifico pra músicos Cristãos e diretamente aos guitarristas cristãos, além de instrução mostram também a conduta dos músicos cristãos.

Parabéns pra toda equipe do Guitar Gospel!

Téo Dornellas

Gostaria de agradecer a todos vocês da equipe, ao Gabriel pelo carinho. Deus Abençoe muito vocês e continuem nesse propósito levando instrução, curiosidades, atualidades aos músicos cristãos e também levando a palavra de Deus sem o mínimo de pudor e constrangimento.
A Paz!